Síndrome pós-férias

A investigação desenvolvida a nível internacional revela que cerca de 4 em cada 10 pessoas exibem, aquando do regresso ao trabalho, após um período de descanso, sintomas tais como alterações de humor, tristeza, irritabilidade, cansaço e alterações no sono e apetite.  Globalmente, estes sintomas tendem a ser mais intensos, quanto maior tiver sido período de descanso.

Muitas vezes, os sintomas acima descritos, assim como a melancolia perante a antecipação da rotina de trabalho, surgem ainda antes das férias terminarem e, pelo seu impacto ao nível do bem-estar e/ou funcionalidade do indivíduo, constituem um quadro de “síndrome pós-férias”.

Neste sentido, a síndrome pós-férias designa um conjunto de sinais e/ou sintomas (apatia, ansiedade, cansaço, falta de energia, incapacidade de se adaptar à rotina, mau humor, desânimo), cuja gravidade e frequência se limita ao período de adaptação à rotina habitual, após um período de lazer/férias. Na realidade, estes sinais assumem uma função de importância vital no nosso organismo, reclamando a necessidade de reajustamento do seu ritmo com vista à readaptação a situações de maior exigência; paradoxalmente, à medida que a readaptação ocorre, os sinais tendem a dissipar-se gradualmente.

Esse período costuma ter a duração aproximada entre 2 e 10 dias, podendo estender-se até duas a três semanas. Adicionalmente, estudos indicam que cerca de 25% da população pode enfrentar sintomas mais intensos, com interferência negativa ao nível da qualidade de vida, repercutindo-se, de igual forma, na esfera laboral/escolar (baixa produção no trabalho) e social.

Em casos extremos, algumas pessoas, para se adaptarem à rotina pós-férias, recorrem a medicação chegando mesmo a desenvolver quadros e distúrbios psicológicos. Os problemas mais comuns são: ansiedade, depressão, baixa autoestima, sensação de incompetência, distúrbios do sono, dor de cabeça, alterações gastrointestinais, tensão muscular e, para alguns, a dificuldade em inibir o padrão de ingestão de guloseimas e álcool, consumidos, muitas vezes, em exagero durante o período de descanso.

Apesar de ser consensual que as férias são um momento de relaxamento e prazer, grande parte da população regressa à rotina mais cansado e stressado do que antes. Para esse grupo, as férias tiveram efeito negativo. Os estudos mostram que apenas um quinto da população consegue manter os ganhos obtidos no período de descanso, por um período de médio e longo prazo. Fica então o alerta: não subestime o período pós-férias!

Algumas dicas para lidar de forma eficaz com esta fase:

  1. Não regresse de viagem apenas no dia anterior e não retome de imediato o trabalho;
  2. Tente adaptar seus horários de forma progressiva;
  3. Mantenha-se ativo durante as férias;
  4. Divida as tarefas a executar;
  5. Não tire longos períodos de férias;
  6. Acorde um pouco mais cedo no primeiro dia;
  7. Modere o consumo de cafeína/álcool/bebidas energéticas/açúcares;
  8. Vá para a cama mais cedo e levante-se mais perto da sua hora de despertar habitual. Durante esse período aproveite também para visualizar a primeira semana de trabalho. Pense no que seria a semana ideal e no que está ao seu alcance controlar para que seja ideal.

“Aquele que não tem dois terços do dia para si mesmo é um escravo, seja ele qual for, político, comerciante, oficial ou erudito.”

-Friedrich Nietzsche-

Sabia que…

Sabia que consumo de álcool dos portugueses alterou-se durante o…
Sabia que
Menu